Facebook
Twitter
Orkut
Flickr
You Tube
festival

Apresentação


O I Festival de Cinema de Campos do Jordão objetiva, com o apoio do ISPAC - Instituto São Paulo de Arte e Cultura e da Prefeitura Municipal de Campos do Jordão, promover o primeiro festival de cinema de comédia do Brasil durante o período de 27 de abril a 05 de maio de 2012, no Convention Center na cidade de Campos do Jordão. Serão realizadas exibições de filmes em quatro seções distintas, a saber: seleção oficial competitiva de longas, seleção oficial competitiva de curtas, paralela, e juventude. Ademais compõe as atividades do festival: mesas redondas, debates e oficinas.

Curadoria


É com grande honra que assumo a curadoria do I Festival Internacional de Cinema de Campos do Jordão, um evento que em breve criará uma nova referência em relação aos Festivais no Brasil.

Fazer filmes em que as pessoas morrem no final, mostrando que a vida não vale a pena, é muito fácil, mas conseguir abordar temas profundos e mesmo assim encantar a todos através do sorriso é uma arte para poucos. Por isso escolhemos e valorizamos tanto o tema do Festival: a comédia.

O I Festival Internacional de Cinema de Campos do Jordão contará com apresentação de filmes do Brasil e do Exterior, debates, homenagem e principalmente proporcionará o acesso da população local ao cinema, reforçando assim sua vocação cultural.

Bom Festival a todos e até lá!


André Sturm - Diretor do MIS - SP

Homenageado


Homenageado

Nascido em 9 de abril de 1912 em Taubaté, no Vale do Paraiba, Amácio Mazzaropi iniciou a carreira com “Sai da Frente”, comédia dirigida por Abílio Pereira de Almeida, que dirigiria depois outros dois fi lmes com o ator “Candinho” e “Nadando em Dinheiro”, todos produções da Vera Cruz que foi a produtora também de “O Gato de Madame”. Desde que apareceu pela primeira vez em “Candinho”, o personagem Jeca Tatu tem participado do imaginário popular brasileiro com comédias leves, muitas vezes ingênuas, mas que revelam inteligência e generosidade por trás de suas histórias simples de pessoas simples.
Exibiremos ainda duas homenagens ao velho caipira que surgiram nas telas brasileiras. Primeiro “Tapete Vermelho”, de Luis Alberto Pereira, no qual Matheus Nachtergaele vira o mundo tentando encontrar uma película de Mazzaropi para assistir. E do ano passado, uma homenagem singela, que este em competição no festival, “O Palhaço” de Selton Mello.
Kling e Associados Confraria da Comunicação la 1 la 2 Governo do Estado de São Paulo Ministério da Cultura Brasil